NÃO É POSSIVEL CANCELAR UMA NF-e DENTRO DO PRAZO PARA CANCELAMENTO

Resumo: Solução para problema que impede de cancelar uma NF-e, apesar de estar dentro do prazo. £

MOTIVO:
Emissor de NFE encontra-se com Data e hora errados.

SOLUÇÃO:
Acesse Painel de controle - Data e hora Alterar fuso horário
Desabilitar ajuste automático do relógio para horário de verão

ABERTURA E ENCERRAMENTO DE ORDEM DE SERVIÇO

Resumo: Manual de como abrir e encerrar Ordens de Serviço. £

 

Serviços / Controles Técnicos / Ordem de Serviço

> Abertura

01 - Monte o filtro e clique no botão Pesquisar;

 

02 - Clique no botão Novo;

 

03 - Abas da tela:

 

03.01 - Aba Ordem de Serviço:

Dados Iniciais - Selecione o Departamento;
Alvo Atendimento - Selecione o Cliente e informe o Contato;
Atendimento - Informe o Tipo de Atendimento e o Serviço;
Agendamento - Informe Data Hora Agendamento Inicial, Final e Técnico;
Clique no botão Inserir.

 

03.02 - Aba Valores serve para que seja verificada a taxa do serviço, caso tenha;

 

03.03 - Aba Descrição serve para descrever o atendimento informando detalhes sobre os procedimentos feitos, soluções e observações.

 

03.04 - Aba Encerramento informa a hora do encerramento da O.S e o funcionário encerramento.

 

03.05 - Aba Visitas informa a data e hora inicial de agendamento, data e hora final de agendamento e técnico conforme dados lançados na aba Ordem de Serviços/Dados Iniciais. Data e Hora Inicial Realizada e Data e Hora Final Realizada são informados conforme dados preenchidos no encerramento da O.S. Na aba Visitas pode ser descrito alguma informação referente à visita realizada pelo técnico. Ao encerrar a O.S a visita é fechada, se a Ordem for reaberta, uma nova visita é lançada.

 

> Encerramento

01 - Baixa Ordem Serviço Encerramento. Ordem de Serviço aberta na tela:

 

01.01 - Clique em Baixa Ordem Serviço Encerramento;

 

01.02 - Preencha os seguintes dados:

Data / Hora de Encerramento;
Marcar Vistoria;
Funcionário de Encerramento;
Data / Hora Inicial e Data / Hora Final;

 

01.03 - Para confirmar, clique em Ok.

 

02 - Baixa Ordem Serviço por Técnico Externo. Ordem de Serviço aberta na tela:

 

02.01 - Clique em Baixar Ordem Serv. / Técnico;

 

02.02 - Preencha os seguintes dados:

Data / Hora de Notificação de Encerramento;
Encerrar Ordem de Serviço;
Data / Hora Inicial e Data / Hora Final;
Solução.

 

02.03 - Para confirmar, clique em Ok.

LIMPEZA DO CACHE DE NAVEGADORES

Resumo: Mostra como realizar a limpeza de cache nos navegadores Google Chrome e Mozilla Firefox.£

 

A limpeza do cache de navegação evita o carregamento de informações erradas no navegador.

 

GOOGLE CHROME: Digite Ctrl + Shift + Del (Limpar dados de navegação) e marque/deixe marcada a opção "Imagens e arquivos armazenados em cache", depois confirme.

MOZILLA FIREFOX: Digite Ctrl + Shift + Del (Limpar Histórico Recente) e marque/deixe marcada a opção "Cache", depois confirme.

Obs.: Essas opções podem ser encontradas no navegador selecionando opções, os atalhos de teclado apenas agilizam o processo. A limpeza de outros itens da lista de Histórico de cada navegador fica a critério do usuário. Este processo não oferece perigo para a máquina, apenas limpa diferentes tipos de dados temporários salvos.

CÓDIGOS DE ENQUADRAMENTO DO IPI (2015)

Resumo: Traz detalhes sobre novos enquadramentos do IPI a partir de 01/12/2015. £

 

NT 2015.002 Código enquadramento legal do IPI

A NT 2015.002 apresentou a tabela de códigos do enquadramento legal do IPI (cEnq) que deverá ser informado para os itens da nota fiscal. Para mais informações clique no: link
Esta codificação deverá ser informada à partir de 01/12/2015.
Os códigos informados devem ser compatíveis com a CST (código da situação tributária) do IPI, caso contrário haverá rejeição da nota fiscal impedindo a autorização da NF-e. Abaixo segue a lista de códigos que são permitidos para as CST do IPI, qualquer dúvida entre em contato com o Contador Responsável pela sua empresa.

A NÃO ADEQUAÇÃO A NOVA TABELA IMPEDIRÁ A AUTORIZAÇÃO DA NFe

CST 02 (Entrada isenta) e 52 (Saída isenta)

  • 301 Produtos industrializados por instituições de educação ou de assistência social, destinados a uso próprio ou a distribuição gratuita a seus educandos ou assistidos -; Art. 54 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 302 Produtos industrializados por estabelecimentos públicos e autárquicos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, não destinados a comércio -; Art. 54 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 303 Amostras de produtos para distribuição gratuita, de diminuto ou nenhum valor comercial -; Art. 54 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 304 Amostras de tecidos sem valor comercial -; Art. 54 Inciso IV do Decreto 7.212/2010
  • 305 Pés isolados de calçados -; Art. 54 Inciso V do Decreto 7.212/2010
  • 306 Aeronaves de uso militar e suas partes e peças, vendidas à União -; Art. 54 Inciso VI do Decreto 7.212/2010
  • 307 Caixões funerários -; Art. 54 Inciso VII do Decreto 7.212/2010
  • 308 Papel destinado à impressão de músicas -; Art. 54 Inciso VIII do Decreto 7.212/2010
  • 309 Panelas e outros artefatos semelhantes, de uso doméstico, de fabricação rústica, de pedra ou barro bruto -; Art. 54 Inciso IX do Decreto 7.212/2010
  • 310 Chapéus, roupas e proteção, de couro, próprios para tropeiros -; Art. 54 Inciso X do Decreto 7.212/2010
  • 311 Material bélico, de uso privativo das Forças Armadas, vendido à União -; Art. 54 Inciso XI do Decreto 7.212/2010
  • 312 Automóvel adquirido diretamente a fabricante nacional, pelas missões diplomáticas e repartições consulares de caráter permanente, ou seus integrantes, bem assim pelas representações internacionais ou regionais de que o Brasil seja membro, e seus funcionários, peritos, técnicos e consultores, de nacionalidade estrangeira, que exerçam funções de caráter permanente -; Art. 54 Inciso XII do Decreto 7.212/2010
  • 313 Veículo de fabricação nacional adquirido por funcionário das missões diplomáticas acreditadas junto ao Governo Brasileiro -; Art. 54 Inciso XIII do Decreto 7.212/2010
  • 314 Produtos nacionais saídos diretamente para Lojas Francas -; Art. 54 Inciso XIV do Decreto 7.212/2010
  • 315 Materiais e equipamentos destinados a Itaipu Binacional -; Art. 54 Inciso XV do Decreto 7.212/2010
  • 316 Produtos Importados por missões diplomáticas, consulados ou organismo internacional -; Art. 54 Inciso XVI do Decreto 7.212/2010
  • 317 Bagagem de passageiros desembaraçada com isenção do II. -; Art. 54 Inciso XVII do Decreto 7.212/2010
  • 318 Bagagem de passageiros desembaraçada com pagamento do II. -; Art. 54 Inciso XVIII do Decreto 7.212/2010
  • 319 Remessas postais internacionais sujeitas a tributação simplificada. -; Art. 54 Inciso XIX do Decreto 7.212/2010
  • 320 Máquinas e outros destinados à pesquisa científica e tecnológica -; Art. 54 Inciso XX do Decreto 7.212/2010
  • 321 Produtos de procedência estrangeira, isentos do II conforme Lei nº 8032/1990. -; Art. 54 Inciso XXI do Decreto 7.212/2010
  • 322 Produtos de procedência estrangeira utilizados em eventos esportivos -; Art. 54 Inciso XXII do Decreto 7.212/2010
  • 323 Veículos automotores, máquinas, equipamentos, bem assim suas partes e peças separadas, destinadas à utilização nas atividades dos Corpos de Bombeiros -; Art. 54 Inciso XXIII do Decreto 7.212/2010
  • 324 Produtos importados para consumo em congressos, feiras e exposições -; Art. 54 Inciso XXIV do Decreto 7.212/2010
  • 325 Bens de informática, Matéria Prima, produtos intermediários e embalagem destinados a Urnas eletrônicas -; TSE -; Art. 54 Inciso XXV do Decreto 7.212/2010
  • 326 Materiais, equipamentos, máquinas, aparelhos e instrumentos, bem assim os respectivos acessórios, sobressalentes e ferramentas, que os acompanhem, destinados à construção do Gasoduto Brasil -; Bolívia -; Art. 54 Inciso XXVI do Decreto 7.212/2010
  • 327 Partes, peças e componentes, adquiridos por estaleiros navais brasileiros, destinados ao emprego na conservação, modernização, conversão ou reparo de embarcações registradas no Registro Especial Brasileiro -; REB -; Art. 54 Inciso XXVII do Decreto 7.212/2010
  • 328 Aparelhos transmissores e receptores de radiotelefonia e radiotelegrafia; veículos para patrulhamento policial; armas e munições, destinados a órgãos de segurança pública da União, dos Estados e do Distrito Federal -; Art. 54 Inciso XXVIII do Decreto 7.212/2010
  • 329 Automóveis de passageiros de fabricação nacional destinados à utilização como táxi adquiridos por motoristas profissionais -; Art. 55 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 330 Automóveis de passageiros de fabricação nacional destinados à utilização como táxi por impedidos de exercer atividade por destruição, furto ou roubo do veículo adquiridos por motoristas profissionais. -; Art. 55 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 331 Automóveis de passageiros de fabricação nacional destinados à utilização como táxi adquiridos por cooperativas de trabalho. -; Art. 55 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 332 Automóveis de passageiros de fabricação nacional, destinados a pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas -; Art. 55 Inciso IV do Nota Fiscal eletrônica Decreto 7.212/2010
  • 333 Produtos estrangeiros, recebidos em doação de representações diplomáticas estrangeiras sediadas no País, vendidos em feiras, bazares e eventos semelhantes por entidades beneficentes -; Art. 67 do Decreto 7.212/2010
  • 334 Produtos industrializados na Zona Franca de Manaus -; ZFM, destinados ao seu consumo interno -; Art. 81 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 335 Produtos industrializados na ZFM, por estabelecimentos com projetos aprovados pela SUFRAMA, destinados a comercialização em qualquer outro ponto do Território Nacional -; Art. 81 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 336 Produtos nacionais destinados à entrada na ZFM, para seu consumo interno, utilização ou industrialização, ou ainda, para serem remetidos, por intermédio de seus entrepostos, à Amazônia Ocidental -; Art. 81 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 337 Produtos industrializados por estabelecimentos com projetos aprovados pela SUFRAMA, consumidos ou utilizados na Amazônia Ocidental, ou adquiridos através da ZFM ou de seus entrepostos na referida região -; Art. 95 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 338 Produtos de procedência estrangeira, relacionados na legislação, oriundos da ZFM e que derem entrada na Amazônia Ocidental para ali serem consumidos ou utilizados: -; Art. 95 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 339 Produtos elaborados com matérias-primas agrícolas e extrativas vegetais de produção regional, por estabelecimentos industriais localizados na Amazônia Ocidental, com projetos aprovados pela SUFRAMA -; Art. 95 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 340 Produtos industrializados em Área de Livre Comércio -; Art. 105 do Decreto 7.212/2010
  • 341 Produtos nacionais ou nacionalizados, destinados à entrada na Área de Livre Comércio de Tabatinga -; ALCT -; Art. 107 do Decreto 7.212/2010
  • 342 Produtos nacionais ou nacionalizados, destinados à entrada na Área de Livre Comércio de Guajará-Mirim -; ALCGM -; Art. 110 do Decreto 7.212/2010
  • 343 Produtos nacionais ou nacionalizados, destinados à entrada nas Áreas de Livre Comércio de Boa Vista -; ALCBV e Bonfim -; ALCB -; Art. 113 do Decreto 7.212/2010
  • 344 Produtos nacionais ou nacionalizados, destinados à entrada na Área de Livre Comércio de Macapá e Santana -; ALCMS -; Art. 117 do Decreto 7.212/2010
  • 345 Produtos nacionais ou nacionalizados, destinados à entrada nas Áreas de Livre Comércio de Brasiléia -; ALCB e de Cruzeiro do Sul -; ALCCS -; Art. 120 do Decreto 7.212/2010
  • 346 Recompe -; equipamentos de informática -; de beneficiário do regime para escolas das redes públicas de ensino federal, estadual, distrital, municipal ou nas escolas sem fins lucrativos de atendimento a pessoas com deficiência -; Decreto nº 7.243/2010, art. 7º
  • 347 Rio 2016 -; Importação de materiais para os jogos (medalhas, troféus, impressos, bens não duráveis, etc.) -; Lei nº 12.780/2013, Art. 4º, §1º, I
  • 348 Rio 2016 -; Suspensão convertida em Isenção -; Lei nº 12.780/2013, Art. 6º, I
  • 349 Rio 2016 -; Empresas vinculadas ao CIO -; Lei nº 12.780/2013, Art. 9º, I, d
  • 350 Rio 2016 -; Saída de produtos importados pelo RIO 2016 -; Lei nº 12.780/2013, Art. 10, I, d
  • 351 Rio 2016 -; Produtos nacionais, não duráveis, uso e consumo dos eventos, adquiridos pelas pessoas jurídicas mencionadas no § 2o do art. 4o da Lei nº 12.780/2013 -; Lei nº 12.780/2013, Art. 12

CST 04 (Entrada imune) e 54 (Saída imune)

  • 001 Livros, jornais, periódicos e o papel destinado à sua impressão -; Art. 18 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 002 Produtos industrializados destinados ao exterior -; Art. 18 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 003 Ouro, definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial -; Art. 18 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 004 Energia elétrica, derivados de petróleo, combustíveis e minerais do País -; Art. 18 Inciso IV do Decreto 7.212/2010
  • 005 Exportação de produtos nacionais -; sem saída do território brasileiro -; venda para empresa sediada no exterior -; atividades de pesquisa ou lavra de jazidas de petróleo e de gás natural -; Art. 19 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 006 Exportação de produtos nacionais -; sem saída do território brasileiro -; venda para empresa sediada no exterior -; incorporados a produto final exportado para o Brasil -; Art. 19 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 007 Exportação de produtos nacionais -; sem saída do território brasileiro -; venda para órgão ou entidade de governo estrangeiro ou organismo internacional de que o Brasil seja membro, para ser entregue, no País, à ordem do comprador -; Art. 19 Inciso III do Decreto 7.212/2010

CST 05 (Entrada com suspensão) e 55 (Saída com suspensão)

  • 101 Óleo de menta em bruto, produzido por lavradores -; Art. 43 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 102 Produtos remetidos à exposição em feiras de amostras e promoções semelhantes -; Art. 43 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 103 Produtos remetidos a depósitos fechados ou armazéns-gerais, bem assim aqueles devolvidos ao remetente -; Art. 43 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 104 Produtos industrializados, que com matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) importados submetidos a regime aduaneiro especial (drawback -; suspensão/isenção), remetidos diretamente a empresas industriais exportadoras -; Art. 43 Inciso IV do Decreto 7.212/2010
  • 105 Produtos, destinados à exportação, que saiam do estabelecimento industrial para empresas comerciais exportadoras, com o fim específico de exportação -; Art. 43, Inciso V, alínea ?a? do Decreto 7.212/2010
  • 106 Produtos, destinados à exportação, que saiam do estabelecimento industrial para recintos alfandegados onde se processe o despacho aduaneiro de exportação -; Art. 43, Inciso V, alíneas ?b? do Decreto 7.212/2010
  • 107 Produtos, destinados à exportação, que saiam do estabelecimento industrial para outros locais onde se processe o despacho aduaneiro de exportação -; Art. 43, Inciso V, alíneas ?c? do Decreto 7.212/2010
  • 108 Matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) destinados ao executor de industrialização por encomenda -; Art. 43 Inciso VI do Decreto 7.212/2010
  • 109 Produtos industrializados por encomenda remetidos ao estabelecimento de origem -; Art. 43 Inciso VII do Decreto 7.212/2010
  • 110 Matérias-primas ou produtos intermediários remetidos para emprego em operação industrial realizada pelo remetente fora do estabelecimento -; Art. 43 Inciso VIII do Decreto 7.212/2010
  • 111 Veículo, aeronave ou embarcação destinados a emprego em provas de engenharia pelo fabricante -; Art. 43 Inciso IX do Decreto 7.212/2010
  • 112 Produtos remetidos, para industrialização ou comércio, de um para outro estabelecimento da mesma firma -; Art. 43 Inciso X do Decreto 7.212/2010
  • 113 Bens do ativo permanente remetidos a outro estabelecimento da mesma firma, para serem utilizados no processo industrial do recebedor -; Art. 43 Inciso XI do Decreto 7.212/2010
  • 114 Bens do ativo permanente remetidos a outro estabelecimento, para serem utilizados no processo industrial de produtos encomendados pelo remetente -; Art. 43 Inciso XII do Decreto 7.212/2010
  • 115 Partes e peças destinadas ao reparo de produtos com defeito de fabricação, quando a operação for executada gratuitamente, em virtude de garantia -; Art. 43 Inciso XIII do Decreto 7.212/2010
  • 116 Matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) de fabricação nacional, vendidos a estabelecimento industrial, para industrialização de produtos destinados à exportação ou a estabelecimento comercial, para industrialização em outro estabelecimento da mesma firma ou de terceiro, de produto destinado à exportação -; Nota Fiscal eletrônica Art. 43 Inciso XIV do Decreto 7.212/2010
  • 117 Produtos para emprego ou consumo na industrialização ou elaboração de produto a ser exportado, adquiridos no mercado interno ou importados -; Art. 43 Inciso XV do Decreto 7.212/2010
  • 118 Bebidas alcóolicas e demais produtos de produção nacional acondicionados em recipientes de capacidade superior ao limite máximo permitido para venda a varejo -; Art. 44 do Decreto 7.212/2010
  • 119 Produtos classificados NCM 21.06.90.10 Ex 02, 22.01, 22.02, exceto os Ex 01 e Ex 02 do Código 22.02.90.00 e 22.03 saídos de estabelecimento industrial destinado a comercial equiparado a industrial -; Art. 45 Inciso I do Decreto7.212/2010
  • 120 Produtos classificados NCM 21.06.90.10 Ex 02, 22.01, 22.02, exceto os Ex 01 e Ex 02 do Código 22.02.90.00 e 22.03 saídos de estabelecimento comercial equiparado a industrial destinado a equiparado a industrial -; Art. 45 Inciso II do Decreto7.212/2010
  • 121 Produtos classificados NCM 21.06.90.10 Ex 02, 22.01, 22.02, exceto os Ex 01 e Ex 02 do Código 22.02.90.00 e 22.03 saídos de importador destinado a equiparado a industrial -; Art. 45 Inciso III do Decreto7.212/2010
  • 122 Matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) destinados a estabelecimento que se dedique à elaboração de produtos classificados nos códigos previstos no art. 25 da Lei 10.684/2003 -; Art. 46 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 123 Matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) adquiridos por estabelecimentos industriais fabricantes de partes e peças destinadas a estabelecimento industrial fabricante de produto classificado no Capítulo 88 da Tipi -; Art. 46 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 124 Matérias-primas (MP), produtos intermediários (PI) e material de embalagem (ME) adquiridos por pessoas jurídicas preponderantemente exportadoras -; Art. 46 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 125 Materiais e equipamentos destinados a embarcações pré-registradas ou registradas no Registro Especial Brasileira -; REB quando adquiridos por estaleiros navais brasileiros -; Art. 46 Inciso IV do Decreto 7.212/2010
  • 126 Aquisição por beneficiário de regime aduaneiro suspensivo do imposto, destinado a industrialização para exportação -; Art. 47 do Decreto 7.212/2010
  • 127 Desembaraço de produtos de procedência estrangeira importados por lojas francas -; Art. 48 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 128 Desembaraço de maquinas, equipamentos, veículos, aparelhos e instrumentos sem similar nacional importados por empresas nacionais de engenharia, destinados à execução de obras no exterior -; Art. 48 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 129 Desembaraço de produtos de procedência estrangeira com saída de repartições aduaneiras com suspensão do Imposto de Importação -; Art. 48 Inciso III do Decreto 7.212/2010
  • 130 Desembaraço de matérias-primas, produtos intermediários e materiais de embalagem, importados diretamente por estabelecimento de que tratam os incisos I a III do caput do Decreto 7.212/2010 -; Art. 48 Inciso IV do Decreto 7.212/2010
  • 131 Remessa de produtos para a ZFM destinados ao seu consumo interno, utilização ou industrialização -; Art. 84 do Decreto 7.212/2010
  • 132 Remessa de produtos para a ZFM destinados à exportação -; Art. 85 Inciso I do Decreto 7.212/2010
  • 133 Produtos que, antes de sua remessa à ZFM, forem enviados pelo seu fabricante a outro estabelecimento, para industrialização adicional, por conta e ordem do destinatário -; Art. 85 Inciso II do Decreto 7.212/2010
  • 134 Desembaraço de produtos de procedência estrangeira importados pela ZFM quando ali consumidos ou utilizados, exceto armas, munições, fumo, bebidas alcoólicas e automóveis de passageiros. -; Art. 86 do Decreto 7.212/2010
  • 135 Remessa de produtos para a Amazônia Ocidental destinados ao seu consumo interno ou utilização -; Art. 96 do Decreto 7.212/2010
  • 136 Entrada de produtos estrangeiros na Área de Livre Comércio de Tabatinga -; ALCT destinados ao seu consumo interno ou utilização -; Art. 106 do Decreto 7.212/2010
  • 137 Entrada de produtos estrangeiros na Área de Livre Comércio de Guajará-Mirim -; ALCGM destinados ao seu consumo interno ou utilização -; Art. 109 do Decreto 7.212/2010
  • 138 Entrada de produtos estrangeiros nas Áreas de Livre Comércio de Boa Vista -; ALCBV e Bomfim -; ALCB destinados a seu consumo interno ou utilização -; Art. 112 do Decreto 7.212/2010
  • 139 Entrada de produtos estrangeiros na Área de Livre Comércio de Macapá e Santana -; ALCMS destinados a seu consumo interno ou utilização -; Art. 116 do Decreto 7.212/2010
  • 140 Entrada de produtos estrangeiros nas Áreas de Livre Comércio de Brasiléia -; ALCB e de Cruzeiro do Sul -; ALCCS destinados a seu consumo interno ou utilização -; Art. 119 do Decreto 7.212/2010
  • 141 Remessa para Zona de Processamento de Exportação -; ZPE -; Art. 121 do Decreto 7.212/2010
  • 142 Setor Automotivo -; Desembaraço aduaneiro, chassis e outros -; regime aduaneiro especial -; industrialização 87.01 a 87.05 -; Art. 136, I do Decreto 7.212/2010
  • 143 Setor Automotivo -; Do estabelecimento industrial produtos 87.01 a 87.05 da TIPI -; mercado interno -; empresa comercial atacadista controlada por PJ encomendante do exterior. -; Art. 136, II do Decreto 7.212/2010
  • 144 Setor Automotivo -; Do estabelecimento industrial -; chassis e outros classificados nas posições 84.29, 84.32, 84.33, 87.01 a 87.06 e 87.11 da TIPI. -; Art. 136, III do Decreto 7.212/2010
  • 145 Setor Automotivo -; Desembaraço aduaneiro, chassis e outros classificados nas posições 84.29, 84.32, 84.33, 87.01 a 87.06 e 87.11 da TIPI quando importados diretamente por estabelecimento industrial -; Art. 136, IV do Decreto 7.212/2010
  • 146 Setor Automotivo -; do estabelecimento industrial matérias-primas, os produtos intermediários e os materiais de embalagem, adquiridos por fabricantes, preponderantemente, de componentes, chassis e outros classificados nos Códigos 84.29, 8432.40.00, 8432.80.00, 8433.20, 8433.30.00, 8433.40.00, 8433.5 e 87.01 a 87.06 da TIPI -; Art. 136, V do Decreto 7.212/2010
  • 147 Setor Automotivo -; Desembaraço aduaneiro, as matérias-primas, os produtos intermediários e os materiais de embalagem, importados diretamente por fabricantes, preponderantemente, de componentes, chassis e outros classificados nos Códigos 84.29, 8432.40.00, 8432.80.00, 8433.20, 8433.30.00, 8433.40.00, 8433.5 e 87.01 a 87.06 da TIPI -; Art. 136, VI do Decreto 7.212/2010
  • 148 Bens de Informática e Automação -; matérias-primas, os produtos intermediários e os materiais de embalagem, quando adquiridos por estabelecimentos industriais fabricantes dos referidos bens. -; Art. 148 do Decreto 7.212/2010
  • 149 Reporto -; Saída de Estabelecimento de máquinas e outros quando adquiridos por beneficiários do REPORTO -; Art. 166, I do Decreto 7.212/2010
  • 150 Reporto -; Desembaraço aduaneiro de máquinas e outros quando adquiridos por beneficiários do REPORTO -; Art. 166, II do Decreto 7.212/2010
  • 151 Repes -; Desembaraço aduaneiro -; bens sem similar nacional importados por beneficiários do REPES -; Art. 171 do Decreto 7.212/2010
  • 152 Recine -; Saída para beneficiário do regime -; Art. 14, III da Lei 12.599/2012
  • 153 Recine -; Desembaraço aduaneiro por beneficiário do regime -; Art. 14, IV da Lei 12.599/2012
  • 154 Reif -; Saída para beneficiário do regime -; Lei 12.794/1013, art. 8, III
  • 155 Reif -; Desembaraço aduaneiro por beneficiário do regime -; Lei 12.794/1013, art. 8, IV
  • 156 Repnbl-Redes -; Saída para beneficiário do regime -; Lei nº 12.715/2012, art. 30, II
  • 157 Recompe -; Saída de matérias-primas e produtos intermediários para beneficiários do regime -; Decreto nº 7.243/2010, art. 5º, I
  • 158 Recompe -; Saída de matérias-primas e produtos intermediários destinados a industrialização de equipamentos -; Programa Estímulo Universidade-Empresa -; Apoio à Inovação -; Decreto nº 7.243/2010, art. 5º, III
  • 159 Rio 2016 -; Produtos nacionais, duráveis, uso e consumo dos eventos, adquiridos pelas pessoas jurídicas mencionadas no § 2o do art. 4o da Lei nº 12.780/2013 -; Lei nº 12.780/2013, Art. 13

Para redução

  • 601 Equipamentos e outros destinados à pesquisa e ao desenvolvimento tecnológico -; Art. 72 do Decreto 7.212/2010
  • 602 Equipamentos e outros destinados à empresas habilitadas no PDTI e PDTA utilizados em pesquisa e ao desenvolvimento tecnológico -; Art. 73 do Decreto 7.212/2010
  • 603 Microcomputadores e outros de até R$11.000,00, unidades de disco, circuitos, etc, destinados a bens de informática ou automação. Centro-Oeste SUDAM SUDENE -; Art. 142, I do Decreto 7.212/2010
  • 604 Microcomputadores e outros de até R$11.000,00, unidades de disco, circuitos, etc, destinados a bens de informática ou automação. -; Art. 142, I do Decreto 7.212/2010
  • 605 Bens de informática não incluídos no art. 142 do Decreto 7.212/2010 -; Produzidos no Centro-Oeste, SUDAM, SUDENE -; Art. 143, I do Decreto 7.212/2010
  • 606 Bens de informática não incluídos no art. 142 do Decreto 7.212/2010 -; Art. 143, II do Decreto 7.212/2010
  • 607 Padis -; Art. 150 do Decreto 7.212/2010
  • 608 Patvd -; Art. 158 do Decreto 7.212/2010

COMO FAZER DOWNLOAD DE ARQUIVOS XML DE NF-e E NFC-e?

Resumo: Mostra como gerar a lista de XML das NF-e ou NFC-e do mês para envio ao contador. £

Para NFe:
- Acesse - Comercial / Movimentações / Nota Fiscal Eletrônica;
- Selecione as notas cujo XML deve ser baixado nas caixas de seleção à esquerda de cada uma;
- Clique no botão Download XML;
- Um arquivo RAR (compactado) será baixado, dentro do mesmo estarão os XML de todas as notas selecionadas.

Para NFCe:
- Acesse - Comercial / Movimentações / Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica;
- Selecione as notas cujo XML deve ser baixado nas caixas de seleção à esquerda de cada uma;
- Clique no botão Download XML;
- Um arquivo RAR (compactado) será baixado, dentro do mesmo estarão os XML de todas as notas selecionadas.

OBS: Use o botão Pesquisar para filtrar os resultados da tela, por intervalo de datas por exemplo. Para tirar as XML do mês, use o filtro de Data com intervalo referente ao mês desejado e o Status Aprovada. O resultado será a lista de todas as notas aprovadas do mês, selecione tudo e clique em Download XML.

CONFIGURAÇÕES: GERAR ORDENS DE SERVIÇOS/EQUIPAMENTOS 

Resumo: Passo a passo de como gerar Ordens de Serviço automaticamente com diversas periodicidades. £

 

Configuração / Parâmetros do Sistema. 

idTipoAtendimentoManutencao - Define o ID do Tipo de Atendimento que será inserido na Ordem de Serviço;

 

idTipoServicoManutencao - Define o ID do Serviço que será inserido na Ordem de Serviço;

 

idTipoDepartamentoManutencao - Define o ID do Departamento que será inserido na Ordem de Serviço.

 

Configuração / Grupos de Usuários. Itens de Acesso.

numPontosAjustado - Define se o campo Nº Pontos virá setado por padrão com 1 (habilitado) ou 0 (desabilitado).

 

 

> Ordem de uso de telas.

 

01 - Serviços / Gestão de Equipamentos / Equipamentos - Realizar o cadastro dos equipamentos;

 

02 - Serviços / Contratos / Contratos - Criar o contrato com o cliente e atrelar os equipamentos ao contrato;

 

03 - Serviços / Contratos / Gerar Ordens de Serviços/Equipamentos - Gerar automaticamente as Ordens de Serviço.

COMO ALTERAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR DA NF-e

Resumo: Mostra como definir o texto a ser usado nas Informações Complementares da NF-e. £

Configuração / Parâmetros do sistema / Texto da Informação Complementar (textoInfoComplAutomatica)

01) Clicar no ícone do lápis (editar);

02) Inserir a mensagem desejada no campo "valor";

03) Clicar em "alterar".

CONFIGURAÇÕES: MENU DO CLIENTE COM USUÁRIO

Resumo: Passo a passo para configurar o Menu do Cliente com subusuários (responsáveis). £

Configuração / Parâmetros do Sistema.

tipoMenuCliente - Define se o Menu do Cliente terá campos de usuário e senha. Tipo Usuário;

 

camposMenuCliente - Define quais opções o Menu do Cliente trará;

  

Administrativo / Clientes.

01 - Após criar ou clicar em editar (lápis) um cadastro de Cliente, clique em Responsáveis, no menu lateral (cinza);

 

02 - Clique em Novo;

 

03 - Digite os dados do usuário: Nome, CPF e senha, pelo menos;

 

04 - Clique em Inserir.

 

Administrativo / Menu do Cliente.

05 - Para fazer o login, preencha:

 

      CPF/CNPJ - Login do Cliente (Pessoa Física ou Jurídica);

      Senha - Senha do Cliente (Tela de Cadastro de Cliente);

      Login Usuário - CPF do Usuário (Cadastro de Responsáveis);

      Senha do Usuário - Senha do Usuário (Cadastro de Responsáveis).

CONFIGURAÇÕES: ORDEM DE SERVIÇO (MODELO 4) - CONTROLE DE VETORES E CAPINA QUÍMICA

Resumo: Define como funciona especificamente o modelo 4 de Ordem de Serviço feita para Controle de Pragas e Capina Química. £ 

Configuração / Parâmetros do Sistema.

ModeloOrdemServico - Define o modelo da Ordem de Serviço. Neste caso seria o 4;

 

camposMenuCliente - Define quais opções o Menu do Cliente trará;

  

Administrativo / Cadastros Básicos / Empresas.

01 - Após criar ou clicar em editar (lápis) um cadastro de Empresa, clique em Parâmetros, no menu lateral (cinza);

 

02 - Localize e preencha os seguintes parâmetros (clique no lápis para alterar):

      Código do INEA;

      Número Licença Ambiental;

      Validade da Licença Ambiental.

 

Comercial / Produtos / Produtos.

03 - Cadastre aqui Produtos para servirem como Materiais (Herbicidas, Inseticidas, Rodenticidas). Uma dica é usar um Grupo de Produtos ou até mesmo uma Tabela de Produtos para fazer uma melhor organização.

 

Serviços / Gestão de Equipamentos / Equipamentos.

04 - Cadastre aqui Equipamentos (Pulverizador, Atomizador, Armadilhas). Os campos a seguir são mais importantes:

      Serial - Código do Equipamento;

      Modelo - Nome/Descrição do Equipamento.

 

05 - Pode ser que seja necessário cadastrar Tipos de Equipamento, outra opção dentro de Gestão de Equipamentos.

 

Serviços / Controles Técnicos / Ordem de Serviço.

06 - Crie ou clique para editar (lápis) uma Ordem de Serviço. Pode consultar o FAQ ABERTURA E ENCERRAMENTO DE ORDEM DE SERVIÇO para mais detalhes;

 

   06.01 - Ao criar, o sistema irá perguntar se deseja abrir uma Ordem de Serviço de Controle de Vetores e Pragas Urbanas ou Capina Química. Selecione a desejada.

 

07 - Abaixo do campo Técnico, podem-se marcar opções do tipo de praga a ser combatido neste serviço. O que for marcado aqui, aparecerá marcado no PDF da Ordem de Serviço;

 

08 - Clique na Aba Materiais à esquerda (a O.S.  precisa ter sido inserida) e selecione os Materiais que serão usados nessa Ordem de Serviço, confirmando no botão Inserir esta linha;

 

09 - Clique na Aba Equipamentos à esquerda (a O.S.  precisa ter sido inserida) e selecione os Equipamentos que serão usados nessa Ordem de Serviço, confirmando no botão Inserir;

 

10 - Após inserir todos os dados necessários, clique em Sair (menu à esquerda) para retornar à tela de consulta. Selecione sua(s) Ordem(ns) de Serviço e clique em Imprimir Várias para gerar o PDF a ser impresso.

 

 

CONFIGURAÇÕES: INTEGRAÇÃO COM BALANÇA

Resumo: Mostra informações que permitem configurar a integração do MyHeaven com balanças digitais (Self-service, rações). £ 

 

(MyHeaven) Configuração / Parâmetros do Sistema.

(PDV) Menu (Alt+1) / Configurações / Parâmetros do Sistema.

identificadorPesoBalanca - Define o número inicial da referência gerada pela balança, geralmente é 2;

tamanhoReferenciaBalanca - Define o número de dígitos que a referência  de produto da balança possui, geralmente 4;

operacaoBalanca - Define se a parte final da referência da balança trabalha com quantidade ou valor (preço).

  

(MyHeaven) Comercial / Produtos / Produtos.
(PDV) Menu (Alt+1) / Produtos.

01 - Após criar ou clicar em editar (lápis) um cadastro de Produto, selecione a aba Informações Adicionais;

02 - Vá ao campo Produto Pesado e selecione Sim, clique em Alterar para salvar.

 

> Exemplo de referência de balança com EAN13 (Opera com valor):

Dígito Identificador: 2

Referência de Produto: 1414

Valor gerado pela pesagem: R$35,90

Dígito Verificador: 0

Exemplo: 2141400035900

 

 > Exemplo de referência de balança com EAN13 (Opera com quantidade):

Dígito Identificador: 2

Referência de Produto: 1414

Quantidade gerada pela pesagem: 523,25g

Dígito Verificador: 0

Exemplo: 2141400523250

 

CONFIGURAÇÕES: ALTERAR O MODELO DE ORDEM DE SERVIÇO

Resumo: Traz informações sobre os diferentes modelos de romaneio (Movimentação de Estoque) do MyHeaven e como configurá-los.£

 

Configuração / Parâmetros do Sistema. 

ModeloOrdemServico - É o parâmetro que define o modelo de ordem de serviço vigente;

 

01 -  Encontrar o parâmetro ModeloOrdemServico;

01.01 - Utilizar a ferramenta busca rápida para procurar ModeloOrdemServico em ordem de encontrar o parâmetro mais rapidamente.

 

02 -  Clicar na figura do lápis (Editar o Registro) ao encontrar o parâmetro;

 

03 -  Inserir no campo Valor o número do modelo desejado;

 

04 -  Segue a lista dos modelos disponíveis no sistema:

Modelo 01 - TV a cabo / internet;
Modelo 02 - (Inutilizado);
Modelo 03 - Genérico com pesquisa;
Modelo 04 - Capina química / controle de vetores;
Modelo 05 - Condicionador de ar com avarias.

GERAR ARQUIVO REMESSA: BOLETO NÃO ENCONTRADO

Resumo: Contém possíveis soluções para o erro "Boleto não encontrado" ao tentar gerar arquivo de remessa. £

Finanças / Cadastro / Conta Corrente

01 - Verificar o cadastro da conta corrente. Ver, por exemplo, se ela tem a forma de pagamento cadastrada.

 

Administrativo / Cadastros Básicos / Formas de Pagamentos / Recebimentos 

02 - Verificar o cadastro da forma de recebimento. Ver, por exemplo, se o campo conta corrente está inserido com a conta que você cadastrou.

 

Configuração / Parâmetros do Sistema / idFormaCobranca 

03 - Verificar se a forma de recebimento utilizada na venda por boleto está na tabela da direita.

 

Administrativo / Clientes / Editar (Lápis) / Preferências

04 - Checar se o campo conta corrente está com a conta corrente utilizada para a geração deste boleto.

PROCEDIMENTOS PARA GERAR COBRANÇA E FATURAMENTO

Resumo: Contém informações de como usar a função Gerar Cobrança/Faturamento, configurações correspondentes e parâmetros importantes.£

1) Configuração dos Parâmetros de Empresa
Administrativo / Cadastros Básicos / Empresas

Siga para a tela de parâmetros e pesquise os seguintes itens:

ultimoNumeroRpsNfse
Este parâmetro armazena o último número da NFS-e.

seqCobranca
Este parâmetro armazena o último número da Nota de Locação.

gerarImpNfse
Este parâmetro armazena o valor (normalmente um ID) da opção referente ao Grupo de Produtos 3 (padrão: Tamanho) e que, quando selecionado, determina que o produto deve reter impostos.

gerarContratoClientesSeparado
Este parâmetro determina se as cobranças são geradas somando o valor de todos contratos de um cliente em um lançamento ou separa todos os lançamento por contrato.


2) Configuração dos Parâmetros do Sistema
Configuração / Parâmetros do Sistema

Pesquise os seguintes itens:

modeloMovimentacao
Este parâmetro armazena o ID referente ao modelo de romaneio que o cliente utiliza.

idReferenciaBordero
Define como padrão uma referência para a área de integrações do borderô.


3) Configuração no Cadastro de Clientes
Administrativo / Clientes

Dia do Vencimento
Determine a data de vencimento que devem gerar no faturamento e cobrança.

Conta Corrente
Selecione a conta corrente responsável pelo recebimento do faturamento.


4) Configuração no Cadastro de Produtos
Comercial / Produtos / Produtos

Grupo de Produtos 3 (padrão: Tamanho)
Selecionar a opção que foi configurada em parâmetros de empresa, no item gerarImpNfse.


5) Configuração no Cadastro de Planos
Serviços / Cadastro / Planos

Produtos para Integração
Selecione o produto de integração no plano de acordo com a necessidade de retenção de impostos.

 

6) Configuração no Tipo de Movimentação
Comercial / Cadastro / Tipos de Movimentação

Localize o tipo de movimentação que utiliza para gerar o faturamento e cobranças por padrão e configure para não lançar financeiro e nem caixa.


7) Processo Operacional

Serviços / Contratos / Gerar Cobrança ou Faturamento
Utilize essa tela para gerar os lançamentos de cobrança e faturamento.

Finanças / Movimento Financeiro / Borderô de Pagamento ou Recebimento
Utilize essa tela para Exportar para Movimentação os lançamentos gerados.

Comercial / Movimentações / Movimentação de Estoque
Utilize essa tela para Finalizar os lançamentos exportados.

Finanças / Movimento Financeiro / Borderô de Pagamento ou Recebimento
Analise que em seus lançamentos finalizados, o número do documento foi atualizado com RANFS.

Utilize essa tela para imprimir o romaneio da Nota de Locação e também para imprimir boletos e enviar e-mails com os boletos.

Nota Fiscal Eletrônica de Serviço
Utilize essa tela para emitir e imprimir a NFS-e.

ALGUNS ITENS DO MENU PRINCIPAL NÃO APARECEM APÓS ATUALIZAÇÃO DE VERSÃO DO SISTEMA

Resumo: Após acessar o sistema na primeira vez, após uma nova versão estar disponível, o sistema pode não exibir alguns itens. £

SOLUÇÃO:
Saia (clicando no botão Sair) e refaça o login.

FECHAMENTO DE CAIXA INCOMPLETO 

Resumo: Traz solução para quando o relatório de fechamento de caixa não lista todas as vendas.

£

MOTIVO:
Provavelmente o número do caixa foi alterado durante alguma operação no sistema como, por exemplo, suporte, atualização de versão e etc. Na visualização do Fechamento de Caixa está sendo informado o número do caixa errado.

SOLUÇÃO:
Acessar Parâmetros => Ponto de Venda => Parâmetros na opção Parâmetro de Trabalho, quadro CX acertar o número do caixa onde o sistema lança suas vendas.
OBS: Normalmente o padrão do PDV é 00 e do Commerce é 01

TELA DE ERRO VAZIA OU SEM DESCRIÇÃO

Resumo: O que fazer quando o sistema apenas exibe uma tela de erro sem informações. £

MOTIVO:
Tabelas do banco de dados ou tabelas temporárias corrompidas.

SOLUÇÃO: 
Excluir tabelas de movimentação temporárias
Se ocorrer o erro no PDV => Acessar a pasta c:\tecsoftware\PDV\PDVMOVIM e excluir todos os arquivos.
Se ocorrer o erro no Commerce, Finance ou MarketUP => Acessar a pasta C:\Tec Software\Zeus\Commerce\ZeusMovim e excluir todos os arquivos
Caso o problema não for resolvido, passe para a próxima etapa. 

Atualizar tabelas do Banco de Dados
Acesse a pasta C:\Tec Software e execute o programa Intelli.exe. Marque as LJs e Zeus e clique em Atualizar (f7).
Espere o processo de atualização terminar e veja se o problema foi resolvido.
Caso não, passe para a proxima etapa. 

Reestruturar as tabelas
Acesse a pasta C:\Tec Software e execute o programa Intelli.exe. Clique no botão Reestruturar.
Selecione a base de dados: Por apelido
Escopo de reconstrução: Todas as tabelas
Selecione o apelido: LJ-01
Marque Eliminar registro e Anotar ações
Clique no botão Iniciar e espere o processo de reestruturação terminar.
Fazer o mesmo procedimento selecionando os outros apelidos (LJs e Zeus).
Realizar o processo de atualização do banco de dados (Ver etapa anterior).

LEITURA X E REDUÇÃO Z

Resumo: Explica brevemente os conceitos de Leitura X e Redução Z nas impressoras fiscais. £

LEITURA X
É o documento fiscal emitido pelo ECF que indica os valores acumulados nos contadores e totalizadores, sem que sejam zerados ou diminuídos esses valores.
Deve ser emitida na abertura das atividades do estabelecimento, em outros casos também pode ser emitida durante o dia para verificação de valores ou após uma sangria

REDUÇÃO Z
È, também, um documento fiscal emitido pelo ECF com informações idênticas às da Leitura "X", mas que importa, exclusivamente, em zerar os totalizadores parciais. A Redução Z deve ser emitida no encerramento diário das atividades do estabelecimento Emitir a Redução Z durante o horário de funcionamento do estabelecimento impedirá a emissão de cupom fiscal, salvo se houver Redução Z pendente
Não é recomendado deixar a emissão da Redução Z para o dia seguinte.

Fundamento: artigo 2º, II e III, da Portaria CAT-55/98 

INTELLIBANK

Resumo: Apontamentos sobre o Intellibank e suas funções mais comuns. £

1 - Entre no Intellibank que se encontra na pasta Tec Software.
2 - Nas tela superior do Intellibank você encontrará três botões: 
Organizar: Atualiza os índices
Atualizar: Atualiza os índices, verifica e atualiza a estrutura das tabelas.
Lixeira: Elimina os registros deletados.
Reestruturar: Restrutura os índices, reconstrói tabelas danificadas e verifica erros nas tabelas.
3 - Na tela a direita, marque os Alias que você quer passar o Intellibank (Ex: Zeus, LJ-01, LJ-02)
4 - Clique o botão Atualizar e espere a atualização dos Alias ser concluída.

ERRO ACCESS VIOLATION

Resumo: Solução para o erro "Access Violation". £

MOTIVO:
Sistema está tentando incluir um registro já existente no banco de dados Travamento do computador durante alguma operação no sistema. Lentidão na rede entre outros

SOLUÇÃO:
Verificar se o cadastro já existe no sistema.
Acessar Parâmetros => Ponto de Venda => Códigos clicar no botão Atualizar Códigos.
Se o erro persistir acessar o Intellibank e atualizar as LJ´s e ZEUS. Se ainda sim persistir o erro entrar em contato com o suporte técnico.

RUNTIMER

Resumo: Solução para o erro identificado como "runtimer". £

MOTIVO:
Não existe Impressora Instalada no Sistema Operacional.

Impressora configurada errada ou com erro.

 

SOLUÇÃO:
Verificar se existe impressora instalada no computador ou se a impressora instalada está configurada corretamente.

Uma solução corriqueira é alterar a impressora padrão, caso já haja outras impressoras instaladas

TABLE IS FULL

Resumo: Solução para o erro "Table is full" (tabela cheia). £

MOTIVO:
As Tabelas CMOVIM, IMOVIM e CREDDEB se encontram cheias.

SOLUÇÃO:
Fazer Backup da pasta Database
Excluir registros das tabelas

No PDV
Atualização => Excluir Movimento. Informe o período e marque a opção Manter Integridade

No Commerce
Suplementos => Excluir Movimento. Informe o período e marque a opção Manter Integridade.

No Intellibank
Acessar Intellibank e clicar no botão Lixeira. Aguardar o fim da exclusão dos dados, fechar o Intellibank e acessar PDV e/ou Commerce normalmente.

Observação
O processo de exclusão pelo PDV e/ou Commerce pode levar minutos ou horas para ser concluído e durante esse período o sistema não poderá ser utilizado. Aconselhamos que seja feito ao fim do expediente ou em uma data onde a empresa não funcione, como fim de semana ou feriado.

TABELAS DANIFICADAS FASE 1 OU FASE 2

Resumo: Solução para erros de FASE 1 ou FASE 2, tabelas danificadas. £

MOTIVO:
Arquivos temporários da movimentação de estoque foram corrompidos Normalmente este erro está ligado ao desligamento do computador com o PDV/Commerce aberto, travamento do computador com PDV/Commerce aberto, travamento do PDV/Commerce durante uma operação de movimentação, falha na comunicação do PDV com a Impressora Fiscal, lentidão na rede, lentidão do computador entre outras coisas.

SOLUÇÃO:

No PDV:
Acessar Meu Computador => Disco Local (C:) => Tec Software => PDV => PDVMOVIM e apagar todos os arquivos que se encontram dentro da pasta. (PDV tem que estar fechado).

No Commerce:
Acessar Meu Computador => Disco Local (C:) => Tec Software => Zeus => Commerce => ZeusMovim e apagar todos os arquivos que se encontram dentro da pasta. (Commerce tem que estar fechado).

OBS: Caso o erro persista. Feche o sistema e todas as estações.
Acesse o caminho: Meu Computador => Disco Local (C:) => Tec Sofware => aplicativo Intelli (Ou Intellibank).
Na parte direita da tela deixe marcado apenas as LJ´s e ZEUS e pressione o botão F7.
Espere o procedimento de Atualização do Banco de Dados terminar e abra o sistema.
Se o erro persistir, entre em contato com o Suporte Técnico.

'*****' IS NOT A VALID INTEGER VALUE

Resumo: Solução para o erro '*****' IS NOT A VALID INTEGER VALUE. £

MOTIVO:
No cadastro de empresas o código do último produto cadastrado está com o valor '*****'

SOLUÇÃO:
NO PDV:
Parâmetros, Cadastros, Empresas => Preencher campo Último Produto Cadastrado com seu respectivo código.
NO COMMERCE:
Cadastros, Empresas => Preencher campo Último Produto Cadastrado com seu respectivo código.

AO INFORMAR LOGIN E SENHA, A TELA DE LOGIN FECHA E O SISTEMA NÃO ABRE

Resumo: Corrigir problema que impede o sistema de abrir após login. £

MOTIVO:
Tabela Users, Logs ou Setup com erro, danificada ou corrompida

SOLUÇÃO:
Acesse o caminho
Meu Computador => Disco Local (C:) => Tec Sofware => aplicativo Intelli (Ou Intellibank).
Na parte direita da tela deixe marcado apenas as LJ´s e ZEUS e pressione o botão F7.
Se o erro persistir, entre em contato com o Suporte Técnico.

SISTEMA NÃO ABRE

Resumo: Solução para problema comum que pode impedir o sistema de abrir. £

MOTIVO:
Tabela Users, Logs ou Setup com erro, danificada ou corrompida

SOLUÇÃO:
Acesse o caminho Meu Computador => Disco Local (C:) => Tec Sofware => aplicativo Intelli (Ou Intellibank)
Na parte direita da tela deixe marcado apenas as LJ´s e ZEUS e pressione obotão F7
Se o erro persistir, entre em contato com o Suporte Técnico.

EXCEPTION EDBEngine ERROR IN MODULE...INSUFFICIENT MEMORY FOR THIS OPERATIONS ALIAS: aZEUS

Resumo: Solução do erro "EXCEPTION EDBEngine ERROR IN MODULE", ao tentar iniciar o sistema. £

MOTIVO:
O sistema já está sendo executado ou existe mais de uma instância do mesmo sendo executado nos Processos do Sistema Operacional.

SOLUÇÃO:
Reiniciar o computador ou Finalizar a instância em execução.

DIRETÓRIO PRIVADO EM USO

Resumo: Ao tentar abrir o sistema, o mesmo exibe o erro "DIRETÓRIO PRIVADO EM USO". £

MOTIVO:
O sistema já está sendo executado ou existe mais de uma instância sendo executado nos Processos do Sistema Operacional

SOLUÇÃO:
Reiniciar o computador. Finalizar a instância em execução instância do mesmo

DESINSTALAR EMISSOR NF-e

Resumo: Passos de como remover o Emissor Fiscal da SEFAZ. £

SOLUÇÃO:
Remover o ícone do Desktop
Acessar Painel de Controle => Java
Na aba Geral, clicar no botão Exibir
Clicar com o botão direito do mouse em cima da aplicação "Emissor de Nota Fiscal Eletrônica - Versão de Testes" ou "Emissor de Nota Fiscal Eletrônica" e escolher a opção Delete.

Também é possível selecionar a aplicação e clicar no X que se encontra nas opções acima.

RECUPERAR TABELAS DO BACKUP

Resumo: Traz um procedimento seguro de como restaurar tabelas vindas de backup. £

SOLUÇÃO:
Verificar qual a tabela está com erro
Acessar o diretório onde se encontra o banco de dados do sistema, normalmente fica no caminho:
C:\Tec Software \Zeus\Database
Na pasta de origem: C:\Tec Software\Zeus\Database ou na pasta C:\Tec Software\Zeus\Database\LJ-01...
Procure a tabela que será substituída e exclua a extensão DB e MB se existir,
Se a tabela tiver arquivos com extensão PX, XG0, XGD, YG0 e semelhantes também realize a exclusão.
Acesse a pasta onde está localizado o Backup do sistema, localize a tabela e copie as extensões DB e MB se existir para a o banco de dados de origem.
Após por a tabela na pasta de origem, acessar o Intellibank, marcar LJ e ZEUS e atualizar.

Por segurança, realizar uma cópia do banco de dados (Copiar a pasta Database)

LENTIDÃO NA EMISSÃO DE MOVIMENTAÇÃO

Resumo: Principais motivos para lentidão na realização de movimentações (vendas, entradas, lançamentos) no sistema. £

MOTIVO:
Rede com lentidão
Tabelas do Banco de Dados cheias.
Impressora Fiscal com dll´s desatualizadas

SOLUÇÃO:
Verificar a rede, suas configurações, cabeamentos, roteadores, hub´s...
Verificar se as tabelas do Banco de Dados se encontram cheias
Atualizar dll´s nas pastas System32 e PDV

ERRO FASE 2 TABELAS ESTÃO CORROMPIDAS

Resumo: Solução para erro de tabelas corrompidas - FASE 2 - no PDV (Zeus). £

Abrir o diretório onde está a pasta Tec Software

Abrir a pasta PDV

Dentro da pasta PDV, entrar na pasta PDVMOVIM

Exclua todos os arquivos dentro da pasta PDVMOVIM, não se preocupe, são arquivos temporários

Após isso, tente abrir novamente o seu PDV

Todos os direitos reservados a Tec Software®